domingo, 30 de outubro de 2016

N 8002 – Carta de Guia de Casados por D. Francisco Manuel de Melo. Porto Typographia Pereira da Silva 1873. Prefácio de Camillo Castello Branco. 204 Páginas. Encadernado, em muito bom estado
D. Francisco Manuel de Melo conheceu o cárcere e o naufrágio, missões diplomáticas, a amizade de Quevedo e de Castelo Melhor, a Academia dos Generosos, exílios, tranquilidade campesina – vida aventurosa que Camilo viu marcada pelo talento e pela desgraça ao reeditar a Carta de Guia de Casados em 1873.
Desde a sua primeira publicação (1651, Lisboa) até ao momento presente, a Carta de Guia de Casados de D. Francisco Manuel de Melo tem contado com uma rara atenção editorial e uma presença significativa na instituição escolar, o que deixa antever um enraizamento muito forte ao nível do sistema cultural português. Com base nesse amplo espectro de leituras que mais de três séculos e meio ajudaram a consolidar – e que começa a tomar corpo logo nos enunciados paratextuais que acompanham essas edições –, pretende-se reflectir sobre os usos e formas de apropriação e partilha, sobre o papel de um texto que cedo se tornou ponto de referência na construção de uma certa identidade masculina e, por extensão, do lugar da mulher na esfera pública e privada. Dos seus primeiros leitores (numerosos, se contarmos o impacto em território nacional e no estrangeiro, nomeadamente na Inglaterra e na Espanha)
Esta obra, foi escrita na Torre Velha  de Porto Brandão no concelho de Almada onde o escritor e militar esteve preso.  D. Francisco Manuel de Melo (1608-1666), acusado de um crime que sempre negou, aí escreveu uma das suas obras mais importantes, “Carta de Guia de Casados”. Na mesma época, há registo de três escravos moradores na localidade, dois dos quais pertencentes ao comandante da Torre.
Portes Grátis


Contactos para venda : amandio_marecos@hotmail.com

Preço 30 €






Sem comentários:

Enviar um comentário